quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

O Natal Por Dentro

É véspera de natal. Outra vez. Estou trancado em casa. Outra vez. Eu, uma arma carregada, trinta comprimidos de Levitra 10mg, uma garrafa de vinho, dezoito latas de cerveja e um peru congelado. Na verdade... Não sei bem o que fazer com isso. Estava pensando em assar o peru, mas acordei tarde demais para pegar a receita na Ana Maria Braga, cara que tragédia!
Sou só eu que não entende o natal? É tipo uma festa cristã para comemorar o aniversário de um judeu? Isso faz sentido para alguém?
Vou tomar minhas dezoito cervejas. E vou fazer o coração desse peru bater novamente. Eu corto a ave ao meio e cadê o coração dessa porra? O peru nasce oco? Ou será que eu fui enganado... E ao invés de um peru me venderam um tipo de... Erh... Ave oca transgênica argentina? Eu vou descarregar minha arma nesse peru... Ou seja lá o que ele for! Ou melhor... Assim que o açougue abrir eu vou implantar um coração de galinha e trazê-lo de volta a vida!
Ok, o peru (?) vai ficar para segundo plano. Ainda tenho onze latas de cerveja, então vou me concentrar no vinho. E vou começar a engolir os levitras. Tenho que tentar me entreter com essa arma. Não passa nada de bom na TV durante o natal. Ainda mais às onze da manhã.
Calma ai, meu pau começou a crescer! Legal, parece ate que passei verniz, parece um cogumelo e está brilhando! Nunca comi ninguém no natal, eu não devia ter cortado aquele peru. Oito latas de cerveja, meio litro de vinho e dez comprimidos de levitra, será que vou morrer? Meu pau não para de crescer, realmente parece um cogumelo! Vou tomar mais quatro levitras e vou subir pelado no meu telhado, deitar no chão e esperar meu pau crescer até fazer sombra, como um guarda-sol, um cogumelão!
Dormi e acordei no fim da tarde vomitando loucamente. E de pau duro, mas agora meu saco estava inchado. O mundo tinha cheiro de churrasco e vomitei por muito tempo... Sério, literalmente pensei que meus pés iriam sair pela minha boca e eu iria virar ao avesso. Mas depois melhorei. Porem, desisti do levitra, pelo menos por hoje. Não que eu tivesse um objetivo para ele, mas a idéia de um guarda-sol pareceu interessante enquanto havia sol.
Desci do telhado e voltei para casa. E continuei com minha cerveja. Me dei conta que o peru (?) estava me encarando. Ele não tinha cabeça, mas estava me encarando... Me encarando com o cu! Atirei nele, uns três ou quatro tiros... Quando me senti seguro recolhi os pedaços da tal ave e coloquei na geladeira para o almoço do dia seguinte.
Pensei em usar as outras balas em mim mesmo, alguém alem de mim já pensou em morrer no natal? Mas eu resolvi desistir... Sei lá... Em 2010 o Corinthians está na libertadores, quero ver no que vai dar.
A minha bebida esta quase acabando... Ainda tenho três latinhas, mas o vinho já se foi há bastante tempo. O natal também esta acabando. Amanhã vai ser embaçado, as primeiras 72 horas depois do natal são pura ressaca... Você só se cura no terceiro dia, ou melhor, ressuscita no terceiro dia... Não é irônico?

Frase laranja da quarta feira:
"Eu só quero minhas férias, uma passagem pro Pernambuco e um cú pra eu mijar dentro"
Meu ex chefe

4 comentários:

  1. Gostei, a crueza/violência dos relatos do Junker são sempre um contra-ponto perfeito às pieguices da terça-feira.
    Sempre querendo jogar na nossa cara o labirinto emocional a que estamos confinados. Genial, em suma.

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito. Além de divertido é irônico.

    E eu concordo, você não deveria ter cortado peru, ou frango (ou aquela coisa que dizem que usam pra fazer o hamburguer do Mc); Você devia ter aproveitado que o cu dele tava te encarando e seu pau tava duro e então, finalmente, transar com alguém com no natal. Mas ainda dá tempo, que tal comprar um Peru (?) novo ?

    ResponderExcluir
  3. Junker, o seu humor é único. acredite.

    ResponderExcluir
  4. aHuahUahU, muito bom!
    O seu humor é um tanto peculiar mesmo. Da maneira que eu gosto, grosso e escatológico.

    ResponderExcluir