sexta-feira, 9 de abril de 2010

Mulher II

Fechava a janela e buscava o chinelo para eu não pisar no chão gelado... Tinha medo de que eu ficasse gripado. No quarto onde a cama, os lençóis, a parede... Tudo era manchado de amor, a gente se amava e suava e se enrolava.

Dizia para eu me cuidar, beber menos, parar de me tatuar e tomar os remédios só na hora certa... Eu sorria, fugia para a cidade. Voltava brincando e embaraçando a visão, fedendo a samba e sarjeta. Eu perdia um pouco dela sempre que eu fazia isso.

Dizia para eu tomar cuidado, me tatuar menos, parar de tomar remédios e beber só na hora certa... Ela chorosa forçou um sorriso e sumiu na cidade. Eu fiquei arrasado e bebi três dias sem parar. Eu perdi minha melhor parte nesse dia.

Ela era a única que enxergava através de mim, e hoje a gente nem se fala.




A Frase Laranja da sexta-feira:
"O álcool não consola, não preenche os vazios psicológicos, mas supre a ausência de Deus. Não compensa o homem. Pelo contrário, anima a sua loucura, transporta-o a regiões supremas onde é mestre do seu próprio destino"
Marguerite Duras

2 comentários:

  1. "Ela era a única que enxergava através de mim, e hoje a gente nem se fala."

    ResponderExcluir