quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Novela I

Eu era pobretão, tinha barba, cabelo comprido, óculos, aparência duvidosa, olhar mentiroso, a cara sarcástica e estava ficando velho. O tempo estava bom, cortei as unhas e escovei os dentes... Fiquei apresentável. Estava meio cético... Seco e insípido, eu era o puro entretenimento. Nesse dia especifico eu estava chamando a atenção, acho que minha camisa estava ao avesso. Ela era tímida, mas gostava de ver o circo pegando fogo. Tinha os cabelos lisos e as idéias enroladas... Era muito interessante e sabia prender a minha atenção. Achou minha boca bonita e veio falar comigo só para ver ela se mexer. A gente ouvia Schubert, falávamos de rock e assistíamos filmes antigos. Era amor demais, transbordava o quarto... Inundava a casa. Ela gostava de falar de si e expor seus pequenos casos de consciência, suas varias delicadezas morais. Comigo ela não pensava em nada triste e me achava talentoso apesar do meu charlatanismo quase indecente. E ela tinha o brilho para enxergar meu lado escuro. Em um domingo depois do almoço, sai de carro para tomar uma cerveja e dirigi durante muito tempo até São Paulo. Nunca mais voltei pra casa. “Chefe, quanto tá a Serra Malte?”. Eu nunca decorei o nome dos donos de boteco... Sempre chamo eles de Chefe, Campeão ou Valdir. “Serra Malte é cinco”. “O que tu tem de mais barato aí?”. “Malta sem gelo deixo por 1,70”. Me trouxe uma e pedi para deixar mais três abertas na mesa. Passei o resto da noite bebendo cerveja ruim e arrotando derrotado.





BNC 23/03/09





Frase (texto) Laranja da Quarta Feira:


"Eu tinha tantos problemas que se eles se equivalessem a grãos de areia eu já teria construído um deserto a minha volta... E todo dia ele aumentava. Eu bebia, olhava as sombras e as luzes silhuetar o mais belo rosto que já vi. Assimilei com um apetite incrível e insaciável todo movimento e ate os pequenos olhares dela... Que alias correspondem tão exatamente as minhas necessidades, tanto que posso compará-la a um remédio. Há sete meses venho experimentando uma espécie de calma, uma espécie de equilíbrio... Minha vida assumiu uma doçura sistemática, onde nenhum dia se passa sem que eu tenha noticias suas. Afogada em livros ou em travesseiros, talvez, mas pensando em mim. E se eu dissesse que te conheço bem mesmo passando a maior parte do tempo longe? E se eu dissesse que essa distancia faz eu te querer por perto o tempo todo?"


Junker (carta de 7 meses de namoro 01/08/07)

5 comentários:

  1. Primeira parte bem decadente. Beijos

    ResponderExcluir
  2. porque sonho nenhum resiste à realidade do dia a dia!

    ResponderExcluir
  3. É verdade, estou escrevendo cada vez pior.

    ResponderExcluir
  4. passando para pedir uma força aos amigos bebuns ...

    Queridos amigos!
    Meu Blog, depois de participar como Destaque na semana de 03/12/2009 na Gazeta dos Blogueiros, foi indicado ao prêmio THE BEST GB. O processo de votação já iniciou e vai até o dia 13/01/2010. Conto com o apoio dos amigos nesta empreitada. É só acessar o blog no link http://paulobraccini-filosofo.blogspot.com/, clicar no Selo Dourado no “sidebar” ao lado que voce será direcionado ao site da Gazeta dos Blogueiros, lá é só marcar o “ENFIM, É O QUE TEM PRA HOJE...” e clicar em VOTE.
    Obrigado amigos,
    Paulo Braccini

    ResponderExcluir
  5. Já escreveram coisa semelhante sobre mim/para mim.

    ResponderExcluir