domingo, 24 de janeiro de 2010

Noite Poética (E Sangrenta)

.
Leblon.
Os poetas da noite carioca se reúnem para compartilhar poesia.
Todos felizes.
Um lugar onde qualquer um pode ler poemas.
Poemas próprios, por exemplo.
O que pode ser um tanto perigoso.

-Boa noite! Vamos começar mais um Corujão da Poesia! Quem gostaria de começar?
-Eu! Eu!
-Ai, ele de novo - fala fora do microfone - Então, alguém mais???
-Eu, eu quero!! Deixa eu, por favor.
-Bom, vai lá... Qual seu nome mesmo?
-Leretrário.
-Ok, com vocês, Leretrário!
-O poema se chama "A Tarântula"
-Lá vem...

A tarântula
Está na minha boca
Sinto os seus pelos
E suas patas se movendo
São muitas patas
Logo
Sinto todas as patas se movendo
Essa tarântula dança
Faz sapateado
E também gosta de sambar
Sinto suas patas batendo e raspando
Na minha língua
O dia todo
Como aturar isso
Se ao menos a tarântula
Parasse pra descansar
Mas não
Lá está ela, dia e noite
Na minha boca a dançar
Só não fecho a minha boca
E trinco os meus dentes
Pois pior pra mim seria
Sentir o seu gosto esmagada
E estraçalhada


-Que... belo poema Leretrário. Obrigado pela sua part...
-O próximo se chama "O Buraco"


Vamos para o buraco
Vamos todos entrar no buraco
O buraco é bem apertado
Mas se nos espremermos bem
Caberemos todos no buraco
Apertado
Ò, como é aconchegante
Gostaria de viver aqui pra sempre
Que buraco delicioso
Dentro do buraco nunca estamos sozinhos
Pois há sempre gente por perto
Estamos sempre encostando em alguém
É só virar a cabeça pro lado
Para encontrar os olhos de outrem
Sentir a respiração
E o toque da pele
O buraco trás companhia
E companheirismo
Todos os problemas do mundo
Se resolveriam
Se todos entrassem juntos
Dentro do buraco
Apertado


-Muito bem, vamos chamar outra pessoa...
-Não, não, eu quero ler mais!!!
-Ó, deus...
-"Blong Blong"


Blong Blong
Eu ouço o barulho
Blong Blong
Sinto que está se aproximando
Posso ver ao longe
Na linha do horizonte
Blong Blong
Lá vem ela caminhando devagar
Blong Blong
Os seu peitos balançam
E se movem devagar


-Bem, ehr...
-Tenho outro ainda!!! Esse é mais moderno.
-Sei...


Nós fizemos amizade no Orkut
Amizade Real
e Eterna
Meus olhos se enchem de lágrimas
Quando penso em nossa amizade
Orkutal
E...


Nesse momento Jonésio saca sua shotgun e explode a cabeça de Leretrário.

-Que alívio. ISSO sim é poesia.

6 comentários:

  1. Método eficaz esse. Adotarei com certeza.

    ResponderExcluir
  2. SUIHFIUDHFIUSD, muito foda esse.
    O humor dos seus textos esses dias está ótimo, cara, sério.

    ResponderExcluir
  3. Eu tb atiraria nele, provavelmente erraria... mas a intençao é importante, né?

    ResponderExcluir
  4. Cara, tava lembrando do Mario Bortolotto e o blog dele: "Atire no Dramaturgo". E atiraram! Cuidado, poeta hahahah
    aposto que teve aplausos da plateia depois que o Leretrário morreu.

    ResponderExcluir