domingo, 21 de março de 2010

Parto Invertido

(clique para aumentar)


Eu mergulho meu corpo
Dentro de sua vagina

Ela abre as pernas
E vira sua vulva para o alto

Subo numa escada
Me ponho em posição fetal

E de um salto
Adentro o seu útero

Em alta velocidade
É uma boa sensação

Sentir o útero se rompendo
O corpo da mulher explodindo

O sangue jorrando
A carne se abrindo

O parto normal
Entrega ao bebê a vida

O parto invertido
Retira da mãe a vida
.

10 comentários:

  1. de fato, "faz o que quer com a realidade, como se a pobre coitada fosse sua puta".
    parabéns! rss, aliás, adorei a imagem. excelente representação do poema.

    ResponderExcluir
  2. Acho que deveriam colocar seu texto numa campanha de controle da natalidade do país, faz qualquer mulher deisitir de ter filhos...

    ResponderExcluir
  3. Isso é como se fosse um tipo de canguru perneta revelado! heehe

    ResponderExcluir
  4. Ai, rapaz...muito trash você, hahahaha.

    ResponderExcluir