domingo, 27 de junho de 2010

Para ser Nascimento

.
Aquele Azul que levou nosso Trem
Derramou Lô na Esquina
e se Transformou nesse Sonho Real
Tudo que podia ser e não foi

(Um Dia)

Quando eu penso em tanta coisa
Que ficou por dizer
Bebo a chuva da Montanha
E sinto o Vento de Maio

(Até um Dia)

Solto a Voz nas Estradas
Antes do Pós
Na frente do Cais
Para ser Nascimento

(Até um Dia Acabar)

8 comentários:

  1. imagino que seja um poema para fãs do clube da esquina, hehe

    ResponderExcluir
  2. É, é para os fãs hardcore de Milton Nascimento e Lô Borges, faz referência a algumas letras, quem não conhece não entende, haha.

    ResponderExcluir
  3. Que gotôso que ficou , depois põe no somesentido né?
    E o Taiyo vai ter um orgasmo quando ler.

    ResponderExcluir
  4. Lindo, lindo. Gostei demais!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. a flavinha sabe das coisas...

    gozei

    ResponderExcluir
  6. justa homenagem.

    Sigo o blog e convido. Estou no www.espacointertextual.blogspot.com

    foi dado o "...primeiro passo, aço, aço..."

    ResponderExcluir